Toninho Ferragutti | O Sorriso da Manu

Go To Artist Page

Recommended if You Like
Bebê Kramer

More Artists From
Brazil

Other Genres You Will Love
Brazilian: MPB Brazilian: MPB Moods: Instrumental
There are no items in your wishlist.

O Sorriso da Manu

by Toninho Ferragutti

Utilizando a sonoridade de uma pequena orquestra, Toninho Ferragutti apresenta seu novo trabalho, O Sorriso da Manu.
Genre: Brazilian: MPB
Release Date: 

We'll ship when it's back in stock

Order now and we'll ship when it's back in stock, or enter your email below to be notified when it's back in stock.
Sign up for the CD Baby Newsletter
Your email address will not be sold for any reason.
Continue Shopping
available for download only
Share to Google +1

Tracks

Available as MP3, MP3 320, and FLAC files.

To listen to tracks you will need to either update your browser to a recent version or update your Flash plugin.

Sorry, there has been a problem playing the clip.

  song title
share
time
download
1. Circuleta
Share this song!
X
3:53 $0.99
2. Trilha Feita À Mão
Share this song!
X
2:52 $0.99
3. Nova
Share this song!
X
3:59 $0.99
4. Trilha Feita a Lápis
Share this song!
X
3:53 $0.99
5. Flamenta
Share this song!
X
5:27 $0.99
6. O Sorriso da Manu
Share this song!
X
5:25 $0.99
7. Paçoquinha
Share this song!
X
4:21 $0.99
8. Choro da Madrugada
Share this song!
X
3:27 $0.99
9. Balanguinha
Share this song!
X
5:24 $0.99
preview all songs

ABOUT THIS ALBUM


Album Notes
Toninho Ferragutti - O Sorriso da Manu

Utilizando a sonoridade de uma pequena orquestra, Toninho Ferragutti apresenta seu novo trabalho, O Sorriso da Manu. A gênese do álbum são composições feitas para o espetáculo “Grupo Luceros dança Toninho Ferragutti”, dirigido por Clarisse Abujamra, no qual os bailarinos se apresentam ao som de um quarteto formado por acordeom, percussão, clarinete e contrabaixo acústico.

Com o tempo, além de servirem de trilha para o balé, as músicas ganharam vida independente e passaram a ser apresentadas em versão instrumental em shows de Ferragutti. Entusiasmado com o resultado, o compositor decidiu então registrá-las em disco. Ao grupo já montado, com Alexandre Ribeiro (clarinete), Beto Angerosa (percussão), Zé Alexandre Carvalho (contrabaixo acústico), Ferragutti somou o piano de Paulo Braga e o quarteto de cordas formado por Ricardo Takahashi, Liliana Chiriac (violinos), Adriana Schincariol (viola) e Raiff Dantas Barreto (violoncelo), criando assim uma pequena orquestra que funde várias linguagens.

Das nove faixas do repertório, “Flamenta”, “Circuleta”, “O Sorriso da Manu”, “Balanguinha” e parte de “Nova” tiveram sua origem no espetáculo de dança. Depois, para a gravação do álbum, Ferragutti acrescentou “Paçoquinha”, escrita em homenagem à Olívia, sua filha mais velha, e ainda “Trilha feita a lápis”, “Trilha feita à mão” e “Choro da madrugada”.

A tarefa de adaptar as músicas para a formação orquestral foi dividida entre os arranjadores Edson José Alves, Rodrigo Morte, Neymar Dias, Alexandre Mihanovitch e Adail Fernandes. A gravação coube a Adonias Junior.

Outro destaque do novo CD é a maneira como foi registrado. “Geralmente, quando trabalhamos em estúdio, o clima é frio, cada músico chega numa hora diferente e grava sua parte separado. Minha intenção foi deixar o clima quente”, diz Ferragutti. Ele conseguiu o que queria gravando tudo ao vivo, com todos os músicos tocando juntos, no palco do Teatro FECAP, em São Paulo. “Aproveitamos a acústica daquele teatro, que foi construído para produzir justamente esse tipo de som que eu aprecio”.

Nas mãos de Ferragutti, o acordeom brasileiro ganhou nova projeção nos últimos anos. Sua elogiada discografia individual somada às centenas de participações em gravações de outros artistas, demonstram a riqueza sonora de um instrumento repleto de possibilidades.

Produzido com recursos do Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (ProAC), O Sorriso da Manu foi gravado em apenas três sessões de seis horas – o que evidencia o entrosamento dos músicos. “O plano foi esse desde o início: todo mundo tocando junto e ao vivo, sem público mas aproveitando a acústica do teatro”, comemora Ferragutti, que batizou o álbum com o nome de uma música composta em homenagem à sua filha Manuela.


Reviews


to write a review